Home»Esportes Americanos»WILDCARD PLAYOFFS 2016: SOBRE JOGAR EM CASA E KICKERS

WILDCARD PLAYOFFS 2016: SOBRE JOGAR EM CASA E KICKERS

0
Shares
Pinterest Google+

nfl

Jogar em casa foi uma fria na rodada de wild cards dos playoffs da NFL (e isso não é um trocadilho com o jogo de Minnesota). Pela primeira vez na história nenhum mandante sobreviveu nesta fase, em parte graças a acontecimentos fora do comum e também graças a atuações perfeitas dos seus visitantes.

Por falar em perfeição pode se definir assim a surra que o Kansas City Chiefs deu no Houston Texans. Perder de 30-0 em casa nos playoffs é muita humilhação, ainda mais com a quantidade de erros cometidos (em especial pelo quarterback Brian Hoyer). Melhor para o Kansas, que quebrou um jejum de oito jogos, e quase 13 anos, sem uma vitória nos playoffs e enfrenta agora New England Patriots. O destaque do jogo foi o kicker brasileiro Cairo dos Santos, que na sua primeira partida em playoffs (e primeira de um brasileiro) foi logo o maior pontuador da rodada, com 12 pontos, ao lado de Chris Boswell, dos Steelers.

Cairo dos Santos em uma partida perfeita. FOTO: Getty Images
Cairo dos Santos em uma partida perfeita. FOTO: Getty Images

No outro jogo da AFC uma verdadeira guerra entre Bengals e Steelers. A rivalidade foi para o campo e o último quarto foi de tirar o fôlego, com o time da casa virando o placar e interceptando Landry Jones, que substituiu “Big” Ben Roethlisberger. Parecia o fim, mas a indisciplina da defesa custou a vitória. Jeremy Hill sofreu fumble, Pittsburgh recuperou a bola e Burfict fez falta pessoal colocando os Steelers em condição de chutar um field goal. Com um chute de apenas 35 jardas a vaga foi para Pittsburgh, que enfrenta agora o Denver Broncos. O técnico de Cincinnati, Marvin Lewis, tornou-se o primeiro da história da NFL a perder sete jogos de pós-temporada sem nunca ter vencido um sequer.

Se em Cincinnati o jogo se resulveu com um chute de 35 jardas, em Minnesota duas jardas oito jardas a menos foram a desgraça do time da casa. No frio congelante de -18º, os Vikings abriram 9×0, levaram a virada para 10×9 e tiverema a bola do jogo para garantir a vaga. Blair Walsh, o kicker que marcou os nove pontos da equipe errou um chute de miseras 27 jardas, para surpresa absoluta de todos que viam a partida. A péssima atuação ofensiva das equipes foi preponderante para a vitória, mas o erro de Walsh ficara marcado na história. Melhor para os Seahawks, que avançaram nos playoffs e encaram a sensação Carolina Panthers.

A fase era melhor, o jogo era em casa, mas nada disso impediu o Washington Redskins de fracassar nos playoffs. Sob comando Aaron Rodgers, o Green Bay Packers impôs seu jogo e venceu o time da capital por 35×18, depois de um começo de partida sonolento. Depois de uma temporada regular pra lá de irregular, os Packers, que conseguiram a melhor pontuação desde o fim de setembro, terão pela frente o Arizona Cardinals, em Phoenix.

Rodgers se destacou e levou o Green Bay a vitória. FOTO: NFL
Rodgers se destacou e levou o Green Bay a vitória. FOTO: NFL

O que concluímos da rodada? Que em Minnesota não se pode ir sem uma boa pilha de agasalhos, que jantar em casa não é garantia de que não vai ter indigestão e, por último e mais importante, que kicker é igual goleiro. Não faz mais do que a obrigação em acertar, mas quando erra…

Previous post

MESSI E O DIA EM QUE TEREMOS UMA ELEIÇÃO EQUILIBRADA

Next post

MILAGRES, NOVIDADES E GRANDES FINAIS NOS PLAYOFFS DA NFL

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *