Home»Futebol Internacional»QUE COMECE A PELEJA DA LIBERTADORES

QUE COMECE A PELEJA DA LIBERTADORES

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Libertadores

Quando River Plate do Uruguai e Palmeiras, Deportivo Tachira e Olímpia entrarem em capo nesta terça-feira (16), a Copa Libertadores dará início a sua 57ª edição. Curiosamente esta é a edição com número recorde de campeões participando, 16 no total. Como nas últimas edições os cinco clubes do país, Atlético, Corinthians, Grêmio, Palmeiras e São Paulo, entram como favoritos ao caneco. Entretanto, depois de cinco anos, os clubes brasileiros não são os mais valiosos do torneiro, perdendo para River Plate, atual campeão, e Boca Juniors que tem em seu elenco jogadores como Carlitos Teves e o italiano Osvaldo.

Tevez é o grande nome do Boca Juniors. FOTO: Boca Júniors
Tevez é o grande nome do Boca Juniors. FOTO: Boca Júniors

O Atlético está no grupo 5, junto com Melga (PER), Colo-Colo (CHI) e Independente del Valle (EQU). Grupo teoricamente fácil para os mineiros, tendo apenas o Colo-Colo como grande adversário. O Galo manteve a base vice-campeã brasileira. Mesmo perdendo peças importantes como Jemerson e Giovani Augusto, manteve Lucas Pratto recusando uma proposta de R$ 70 milhões do futebol chinês pelo atleta. Buscou reforços pontuais com Erazo para substituir Jemerson, o jovem Cazares, que demonstrou ter qualidade para substituir Giovane Augusto, além de Hyuri, Junior Urso e Robinho. Mesmo veterano, o rei das pedaladas pode acrescentar muito no time e ser peça fundamental na caminhada atleticana na Libertadores. Jogadores como Léo Silva, Luan, Marcos Rocha, Douglas Santos e Rafael Carioca serão fundamentais para que o Galo busque seu segundo título.

Robinho é a grande contratação dó Brasil no começo da temporada. FOTO: Fan page do Atlético-MG
Robinho é a grande contratação dó Brasil no começo da temporada. FOTO: Fan page do Atlético-MG

O Corinthians aparece no grupo 8, com Cerro Porteño (PAR), Cobresal (CHI) e Santa Fé (COL). O time do Parque São Jorge tem uma caminhada um pouco mais complicada, com Cerro Porteño e Santa Fé no grupo. Atenção ao time da Colômbia que tem se destacado no senário Sul-americano com boas campanhas na própria Libertadores e também na Copa Sul-americana. Campeão brasileiro, o Timão sofreu com a perda de jogadores importantes como Jadson, Renato Augusto e Gil, o que obriga Tite a reconstruir uma estrutura solida e competitiva como a de 2015. Para reforçar o time o Corinthians trouxe atletas como Guilherme, André, Giovani Augusto e Marlone. Se ficar livre das lesões, Guilherme será fundamental para as pretensões do clube, Giovani Augusto pode ser importante, já André e Marlone ainda terão que provar se podem ser protagonistas no clube nesta temporada. Jogadores como Cassio, Elias, Fagner e Felipe vão ser importantes para deixar o time de Tite competitivo.

Depois do desmanche, Corinthians vira uma incógnita para a Libertadores. FOTO: Globo Esporte
Depois do desmanche, Corinthians vira uma incógnita para a Libertadores. FOTO: Globo Esporte

No grupo 6 aparece o Grêmio, juntamente com LDU (EQU), Toluca (MEX) e San Lorenzo (ARG), talvez o grupo mais complicado da primeira fase. O time gaúcho não teve sorte no sorteio e terá o San Lorenzo, campeão da Libertadores em 2014, a LDU campeã em 2008 e uma longa viagem até o México. Para consolo dos gremistas, o time manteve o técnico Roger, uma grande surpresa na temporada passada, e seus principais jogadores como Giuliano, Luan, Maicon, Bressan e Marcelo Grohe, peças fundamentais para mantar o clube competitivo. Como reforço, destaque para o equatoriano Miller Bolaños que terá papel importante nas pretensões do tricolor gaúcho para esta Libertadores.

Jóia do Grêmio, Luan pode ser a grande arma do time. FOTO: AFP
Jóia do Grêmio, Luan pode ser a grande arma do time. FOTO: AFP

Clube que mais contratou e com um elenco recheado de opções, o Palmeiras está no grupo 2 junto com River Plate (URU), Nacional (URU) e Rosário Central (ARG). Um grupo teoricamente fácil para os paulistas, Nacional e Rosário Central talvez sejam os maiores adversários nesta primeira fase. Campeão da Copa do Brasil aos trancos e barrancos em 2015, e com uma campanha razoável no brasileiro, o time de Marcelo Oliveira ainda precisa mostrar mais. Mesmo com um elenco recheado o treinador não conseguiu fazer o Palmeiras decolar, e nesse início de ano o clube continua com dificuldades para demonstrar em campo a sua qualidade no papel. Se deseja chegar a seu segundo título de Libertadores o Palmeiras terá que apresentar muito mais do que fez até aqui, tendo que corrigir os erros na defesa e fazer o meio de campo jogar. Barrios, Zé Roberto, Prass, Arouca, Dudu e Erick são fundamentais para o clube.

Prass é um dos pilares do Palmeiras, que tenta se encontrar. FOTO: SporTV
Prass é um dos pilares do Palmeiras, que tenta se encontrar. FOTO: SporTV

Maior campeão da Libertadores entre os clubes brasileiros que participam desta edição, o São Paulo está no grupo 1, juntamente com o atual campeão River Plate (ARG), The Strongest (BOL) e Trujillanos (VEN). O River é o principal adversário do tricolor paulista na primeira fase, ainda assim, depois de uma temporada conturbada em 2015, existe uma desconfiança sobre o time de Edgardo Bauza. O tricolor, que não vive uma de suas melhores fases, conta com um elenco de bons nomes, mas que não se confirmaram como bons jogadores em campo. Lugano é a esperança de líder do grupo depois da aposentadoria de Rogério Ceni, Calleri em seus primeiros jogos deu mostras que pode ser importante, Kelvin e Kieza não são exatamente os reforços que o torcedor esperava. Para o torcedor são-paulino a esperança está em Bauza, bicampeão da competição e muito qualificado em extrair o melhor de elencos não tão qualificados. Ganso, Michel Bastos, Calleri, Alan Kardec e Denis são os caras do time. O goleiro ainda terá que conviver com a pressão de substituir o maior ídolo do clube.

Edgardo Bauza vai ter muito trabalho para colocar o São Paulo nos eixos. FOTO: Marcos Ribolli
Edgardo Bauza vai ter muito trabalho para colocar o São Paulo nos eixos. FOTO: Marcos Ribolli

Neste início de competição os cinco clubes brasileiros, River Plate e Boca Juniors despontam como favoritos. Acredito que todos os representantes nacionais passarão de fase, mesmo o Grêmio que tem um desafio complicado no seu grupo. Olho aberto com Santa Fé, Atlético Nacional e San Lorenzo, equipes que a princípio podem surpreender.

Que comece a Libertadores, que ela seja disputada e dura como diz sua história, mas que nós sul-americanos tenhamos aprendido que o espetáculo da bola não pode significar catimba, brigas e agressões. Aguardemos os capítulos de mais uma Liberta….

Post Anterior

REVANCHE E SURPRESAS EM CAMPO NA VOLTA DA CHAMPIONS

Próximo Post

AS VOVÓS DO FUTEBOL

Sem Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *