Home»Variedades»NO EMBALO DO OSCAR, FILMES QUE LEVARAM O ESPORTE PARA AS TELONAS

NO EMBALO DO OSCAR, FILMES QUE LEVARAM O ESPORTE PARA AS TELONAS

0
Shares
Pinterest Google+

Hoje é o dia da entrega do Oscar, para marcar a data, resolvemos fazer uma lista com alguns filmes que trataram do esporte. De forma documental ou lúdica, dramática ou com o toque da comédia, várias vezes a sétima arte se apropriou da paixão pelo esporte para produzir grandes obras. Confira algumas:

1915. O Campeão (The Champion), de Charles Chaplin

Não podia faltar o personagem mais famoso de Chaplin, O Vagabundo, que neste curta, se envereda pelo mundo do Boxe.

bfi-00n-izx

1961. Desafio à Corrupção (The Hustler), de Robert Rossin 

Um filme sobre um jogador de sinuca (coisa que não se vê todo o dia) interpretado por Paul Newman, que depois de perder uma aposta, se une a um agente inescrupuloso para tentar se reerguer.

1976. Rocky, o lutador (Rocky), de John Avildsen

O filme nem é tão bom, mas deu origem a lenda do boxe cinematográfico, Rocky Balboa. Fora a trilha sonora que marcou época, o filme nem é tão bom e, inexplicavelmente, conquistou três Oscars, incluindo melhor filme.

1978. Big Wednesday, de John Milius

Que tal surfistas californianos que tem que enfrentar a guerra do Vietnã? Some-se a isso sequências bem realistas e temos um dos melhores filmes de surfe já feitos.

1980. Touro Indomável (Raging Bull), de Martin Scorcese

Um clássico! Venceu dois Oscars, incluindo o de melhor ator para Robert De Niro, que deu vida ao boxeador Jake LaMotta, o “Touro do Bronx”, que ao mesmo tempo que vencia e crescia na carreira, degradava sua vida pessoal.

1981. Carruagens de Fogo (Chariots of Fire), de Hugh Hudson

Mais um clássico! O espírito olímpico veio com tudo e rendeu quatro Oscars ao filme de Hugh Hudson. O longa conta a história de Eric Liddell e Harold Abrahams, que apesar de suas diferenças, se unem para representar a Grã Bretanha nas finais dos 400m rasos nas Olimpíadas de 1924, em Paris.

1988. Eight Men Out, de John Sayles

Um filme que conta a história do time de basebol do Chicago White Sox, cujos jogadores venderam a liga de 1919, insatisfeitos com os baixos salários.

1993. Jamaica Abaixo de Zero (Cool Runnings), de John Turteltaub

Esse lendário filme da Sessão da Tarde é um comédia inspirada na equipe de bobsleigh da Jamaica, que conseguiu uma inédita participação nas Olimpíadas de Inverno de 1988, em Calgary, no Canadá.

1996. Jerry Maguire, de Cameron Crowe

Essa despretensiosa mas muito bem feita comédia, conta a história de um agente esportivo que perde quase todos os seus clientes depois de pedir um tratamento mais humano para a categoria. Seu último cliente é um jogador negro e temperamental, a quem ele tem que se dedicar. Resultado: um Oscar de melhor ator coadjuvante para Cuba Gooding Jr. (o jogador) e um Tom Cruise (Maguire) a ver navios.

1996. Quando Éramos Reis (When We Were Kings), de Leon Gast

Um ótimo documentário sobre a ” The Rumble in the Jungle”, a épica disputa pelo título mundial dos pesos-pesados entre Muhammad Ali e George Foreman, no antigo Zaire, em 30 de outubro de 1974. Demorou 23 anos para ficar pronto, pois seu financiador era um empresário africano ligado ao ditador do Zaire, que morreu antes de pagar o filme. Apenas em 1990, o projeto foi retomado.

1996. Space Jam: O Jogo do Século (Space Jam), de Joe Pytka

Fantástico encontro de Michael Jordan com Pernalonga e a turma do Looney Tunes se juntam para dar uma surra num time de basquete alienígena e malvado. É muito bom!

2000. Ali, de Michael Mann

Will Smith encarna o lendário boxeador Muhammad Ali, contando sua história da infância até a luta contra o Mal de Parkinson.

2001. Shaolin Soccer, de Stephen Chow

Não dá para descrever. É só assistindo mesmo. Junte Kung-Fu com dois times de futebol e imagine a treta que vai rolar.

2003. Seabiscuit, de Gary Ross

O premiado longa conta a história do pequeno cavalo Seabiscuit, que passou de desacreditado para as corridas ao cavalo destaque do ano de 1938.

2004. Menina de Ouro (Million Dollar Baby), de Clint Eastwood

Um dos melhores filmes de Clint Eastwood, o longa  conta a história de um treinador de boxe que desenvolve uma relação quase de pai e filha com uma talentosa boxeadora. Tem ainda o Morgan Freeman no filme, o que dá indícios de que é coisa boa. Rendeu um Oscar de Melhor de Filme e mais um para cada um dos três protagonistas.

2005. Murderball: Paixão e Glória (Murderball), de Henry Alex Rubin
Dana Adam Shapiro

Um documentário sobre a superação através do esporte de pessoas paraplégicas que encontram um novo sentido para a vida.

2008. O Lutador (The Wrestler), de Darren Aronofsky

Mickey Rourke interpreta quase que a si mesmo no filme, tanto que conquistou um Oscar por sua atuação. A história é de lutador veterano, que tenta retomar os seus dias de apogeu dos anos 80, mesmo com sua condição crítica de saúde. Soma-se a isso sua relação distante com sua filha e seu envolvimento com uma stripper.

2009. Invictus, de Clint Eastwood 

O título mundial de rugby conquistado pela África do Sul não passa de um pano de fundo para a história de reunificação do país pós-Apartheid. Mandela usa a seleção para dar ao país o espírito de união necessário para os novos tempos.

2009. Um Sonho Possível (The Blind Side), de John Lee Hancock

Conhece a história do Big Mike? Ele era  um jovem sem casa, negro vindo de um lar destruído, que é acolhido por uma família branca de classe alta, que acredita em seu potencial e o incentiva na tentativa de se tornar profissional. Mesmo depois de recusar-se a participar do filme três vezes, Sandra Bullock levou o Oscar por sua atuação.

2010. O Vencedor (The Fighter), de David O. Russell

O Batman, quer dizer, o Christian Bale levou um Oscar por esse filme, que conta a história na vida de Micky Ward e seu meio-irmão mais velho Dicky Eklund, na luta pelo sucesso no mundo do boxe, flertando com o fracasso e com as drogas.

2011. O Homem Que Mudou O Jogo (Moneyball), de Bennett Miller

A relação entre pai e filha rouba a atenção em boa parte do filme, mas o que devemos atentar é a forma como Brad Pitty interpreta Billy Beane, gerente geral do time de basebol do Oakland Athletics, que implanta uma metodologia de uso da estatísticas para montar suas equipes. Foi inovador e pegou.

2013. 42, a História de Uma Lenda (42), de Brian Helgeland

O filme é um retrato do rompimento das barreiras do preconceito racial na MLB. Conta a história de Jackie Robinson o primeiro negro a atuar na liga profissional de basebol, que se tornou ídolo e um marco no esporte.

2013. Rush, No Limite da Emoção (Rush), de Ron Howard

Um prato cheio para os fãs de Fórmula 1, o filme contra a rivalidade épica dos pilotos Nick Lauda e James Hunt, destacando a espetacular disputa dos dois na temporada de 76.

Previous post

JOGADAS DA SEMANA | Real Madrid domina a lista de lances espetaculares

Next post

SOCHI 2014 | Nosso parecer atrasado sobre as Olimpíadas na Neve

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *