Home»Fórmula 1»AUSTRÁLIA 2009 | A HISTÓRICA ESTREIA DA BRAWN

AUSTRÁLIA 2009 | A HISTÓRICA ESTREIA DA BRAWN

0
Shares
Pinterest Google+

O que esperar de um time novato, baseado no espólio de uma outra equipe que recém tinha “abandonado o navio” por causa de uma crise financeira? Provavelmente, esta equipe teria um carro limitado e disputaria as últimas posições no grid.

Mas a Brawn GP, equipe formada pelo que sobrou da Honda F1 e comandada pelo ex-diretor técnico da Ferrari Ross Brawn, e seus pilotos já veteranos Jenson Button e Rubens Barrichello contrariaram todas as lógicas. Com o bem nascido Brawn BGP 001, empurrado por um motor Mercedes, já apresentava bom rendimento nos testes de inverno.

Brawn GP: de resto da Honda a equipe de ponta em poucos meses.
Brawn GP: de resto da Honda a equipe de ponta em poucos meses. FOTO: thisisf1.com.

Numa Fórmula 1 que não estava preparada para essa novidade, chegamos a primeira corrida da temporada de 2009. A Austrália, mais uma vez, era a etapa inicial. No treino classificatório os dois carros da Brawn ocuparam a primeira fila, com Button a frente de Barrichello. Um presságio da história que seria escrita na tarde de 29 de março de 2009.

Na largada, Button manteve a ponta mas Rubinho foi péssima. Segundo ele, por um problema com a embreagem eletrônica do carro, entrou muito devagar na primeira se enroscou com Mark Webber, da Red Bull, e Nick Heidfeld, da BMW Sauber, que teve um pneu furado. O australiano rodou e jogou Heikki Kovalainen, da McLaren, para fora da pista. O finlandês abandonou ainda na mesma volta.

Largada do GP da Austrália de 2009.
Largada do GP da Austrália de 2009.
FOTO: gps.gpexpert.com.br.

A confusão rendeu uma asa dianteira danificada para Barrichello. Sebastian Vettel era o novo segundo colocado, mas já estava quatro segundos atrás de Button. Já Rubinha vinha tentando uma recuperação, mas ficou sem mais um pedaço na décima volta. Dessa vez do spoiler, ao ultrapassar Kimi Raikkonen.

Mas aí veio um safety car para dar emoção à prova. Na volta 19, Kazuki Nakajima, da Williams, bateu de frente e motivou sua entrada. Foi a deixa para Rubinho trocar a asa dianteira. Ele voltou em quinto e, de cara, ultrapassou Rosberg na volta seguinte.

Já a vantagem de Button e Vettel tinha desaparecido e Robert Kubica, em terceiro, também pressionava, com seus pneus em melhor estado. Mas o inglês estava tão tranquilo com seu carro que, ao contrário do que se esperava, não sofreu com a presença do alemão e ainda abriu cinco segundos.

Acidente entre Vettel e Kubica proporcionou a histórica dobradinha da Brawn GP.
Acidente entre Vettel e Kubica proporcionou a histórica dobradinha da Brawn GP. FOTO: news.bbc.co.uk.

Com Button disparado, sobrou para Vettel segurar Kubica, que chegou rapidamente. Faltavam três voltas quando o polonês atacou o alemão e ninguém cedeu. O resultado foi uma batida que deixou os dois sem as asas dianteiras. Eles deram de frente com o muro poucos metros depois.

Assim, o segundo lugar da largada voltou para Rubens Barrichello que só seguiu até o final para garantir  a histórica dobradinha da Brawn GP.

Rubens Barrichello, Ross Brown e Jenson Button, comemoram resultado histórico ao final da corrida.
Rubens Barrichello, Ross Brown e Jenson Button, comemoram resultado histórico ao final da corrida. FOTO: autoblog.com.

Para se ter uma ideia do feito da Brawn GP basta lembrar que, em 68 temporadas de Fórmula 1, somente em outras duas vezes uma equipe estreante venceu sua primeira corrida na categoria. Além disso, o time britânico e a Mercedes de 1954 são os únicos, até hoje, a fazerem uma dobradinha em sua corrida de estreia na Fórmula 1. O vídeo a seguir mostra os principais momentos desta histórica corrida.

Essa foi mais uma história do GP da Austrália que contamos aqui no blog. Para saber mais sobre a história dessa etapa, clique aqui.

Previous post

OS PILOTOS DA FÓRMULA 1 EM 2018

Next post

OPINIÕES SOBRE A TEMPORADA 2018 DA F1

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *