Home»Start Sports»A espera acabou! Corinthians é campeão da Libertadores invicto

A espera acabou! Corinthians é campeão da Libertadores invicto

0
Shares
Pinterest Google+

Após 102 anos de história, 35 de espera e 10 participações, o Corinthians finalmente é campeão da Taça Libertadores da América, invicto e incontestável. O bando de loucos, enfim, pode soltar o grito de campeão e aliviar a angústia e tensão que carregavam quando o assunto era o título da Libertadores.

Com a vitória por 2 x 0 sobre o Boca, o Timão fechou de maneira irrepreensível a sua campanha nesta edição da competição. Em uma partida muito disputada, o Corinthians soube se comportar como campeão durante os 90 minutos.

Na primeira etapa as duas equipes não conseguiram criar grandes chances, assim como na primeira partida na Argentina. O Corinthians chutou mais a gol, porém não obrigou os goleiros do Boca a fazerem grandes defesas. Digo “os goleiros”, porque Orión foi substituido por Sosa ainda na primeira etapa por contusão.

Na volta para o segundo tempo, a necessidade de atacar mais era consenso entre os jogadores corintianos. E foi isso que a equipe fez. Mantendo maior presença no campo ofensivo, em uma espécie de blitz, o Corinthians passou a rondar a área adversária, até que aos oito minutos a tática deu certo. Em falta levantada para a área, a bola sobrou para Danilo, que tocou de calcanhar para Emerson Sheik receber e fuzilar o gol de Sosa. O Pacaembu explodiu de vez.

O gol fez com que o jogo mudasse, mas não radicalmente. O Boca tentou sair mais para o jogo, mas esbarrava em uma péssima atuação de Riquelme, estrela e articulador da equipe xeneize. O Corinthians passou a levar o jogo a sua maneira, sem se retrancar mas também sem deixar o Boca à vontade para atacar. Quando tinha oportunidade de atacar, levava a bola ao campo de ataque e valorizava a posse para evitar sustos.

O Boca só teve uma chance de perigo, em cabeçada de Mouche, sozinho na área, para defesa firme de Cássio.

O Corinthians esperava por uma chance clara, e ela veio aos 27 minutos. Schiavi errou passe no campo de defesa e Emerson Sheik roubou a bola, ganhou de Caruzzo na velocidade e tocou na saída do goleiro para marcar o segundo gol e se candidatar a ter um busto na nova arena do Timão.

Com o segundo gol, o jogo foi praticamente resolvido. O Boca não tinha força para atacar, e passou a tentar cruzamentos na área, mas sem nenhum perigo. Já o Timão se defendia e só contava os minutos para poder levantar a taça.

O detalhe curioso nos minutos finais da partida foi o embate de palavras entre Émerson e Caruzzo. Após cobrança de escanteio, os dois ficaram discutindo na área e Émerson apontava para o próprio rosto e pedindo  para que o zagueiro argentino lhe agredisse. Émerson ainda fez gestos do tipo “estou morrendo de medo de você”, em clara provocação ao adversário. Pouco depois o herói corinthiano foi substituído por Liédson.

Com o apito final, o sonho corintiano passou a ser realidade, e o bando de loucos espalhado por todo o mundo vibrou como nunca antes haviam feito.

O Corinthians quebrou a sua maldição em libertadores e conseguiu ser campeão de maneira invicta e incontestável. Com oito vitórias e seis empates, com duelos caseiros e equilibrados contra Vasco e Santos, e com duas ótimas partidas contra o grandioso Boca Júniors na final, esse Corinthians merece todos os louros.

O Corinthians de 2012 aprendeu a jogar a Libertadores. Com um futebol operário, sem estrelas, a equipe sobressaiu nesta campanha. No empate sofrido na estréia contra o Deportivo Táchira, na Venezuela, na primeira partida contra o Emelec nas oitavas de final, no jogo de volta contra o Vasco e nas quatro partidas finais, o Corinthians mostrou concentração total em todas as decisões. Não perdeu o foco em momento algum e soube decidir as partidas nos momentos cruciais (gol de Paulinho contra o Vasco aos 42 do segundo tempo, e os gols de Émerson na Vila Belmiro e de Danilo no Pacaembu contra o Santos e principalmente o gol de Romarinho na Bombonera).

A torcida corintiana também soube jogar junto do time, sem se irritar e passar nervosismo para a equipe em campo. Com apoio incondicional à equipe, sabendo ter paciência nos jogos difíceis, a torcida contribuiu, e muito, para esse título, principalmente com o mantra “Vai Corinthians!”

O ponto forte do Corinthians é o conjunto, mas não podemos nos esquecer do que Émerson Sheik fez nas últimas três partidas das quais participou. O gol contra o Santos na Vila, que apagou a sua expulsão na mesma partida, o passe para o gol de Romarinho na Bombonera e os dois gols de hoje fazem dele o grande herói da conquista. Sheik já demonstrou ser decisivo outras vezes, mas pela proporção que a sua atuação de hoje terá para a história do futebol, o jogo de hoje pode ser considerado o grande jogo de sua carreira.

Sobre o Boca, a equipe fez ótima campanha, mas não conseguiu passar pela defesa corintiana nas finais. Criou pouco jogando em casa, e quando criou não teve bom aproveitamento. Em São Paulo, não jogou bem e mais uma vez não foi agudo ofensivamente. Na partida de hoje só obrigou o goleiro Cássio a fazer uma defesa difícil.

O que fica para a história no dia de hoje é a grande vitória do Corinthians sobre um adversário que amedronta e que merece todo o respeito. O que foi chamado de “final dos sonhos” pelos corintianos, por ser a primeira e contra um adversário super qualificado, acabou tendo o desfecho tão idealizado. O sonho não se tornou pesadelo, e a partir de agora, o novo sonho é repetir nos próximos anos esses momentos desta noite de quatro de Julho de 2012.

A espera acabou! A festa é totalmente merecida!

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=izHQ1eZATp0&w=420&h=315]

CORINTHIANS 2 X BOCA JÚNIORS

Corinthians: Cássio, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fabio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex (Douglas); Jorge Henrique (Wallace) e Émerson Sheik (Liédson). Téc: Tite

Boca Júniors: Orión (Sosa), Franco Sosa, Schiavi, Caruzzo e Clemente Rodríguez; Ledesma (Cvitanich), Somoza, Erviti e Riquelme; Mouche (Viari) e Santiago Silva. Téc: Julio Falcione

Gols: Émerson aos 8 e aos 27 do segundo tempo.

Amarelos: Chião, Leandro Castán e Jorge Henrique (COR). Schiavi, Caruzzo, Mouche e Satiago Silva (BOC).

Local: Estádio do Pacaembu, São Paulo, Brasil.

Previous post

Seleção da 7ª rodada do Brasileirão

Next post

Palmeiras sai da pressão e vence o Coritiba no primeiro jogo da final

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *