Inscreva-se

 

 

Futebol Nacional

O ÉPICO ACESSO DO DEMOCRATA/SL NO CAMP. MINEIRO

Escrito em: 04/11/2017 às 17:21   /   por   /   comentários (0)

A história do acesso do Democrata de Sete Lagoas estaria nas manchetes de todo mundo, caso o time estivesse nos holofotes da mídia e se tivesse acontecido não por uma vaga em divisões inferiores de estaduais, mas sim na luta por um título. Por isso, vamos contar o que aconteceu na reta final do Campeonato Mineiro da Segunda Divisão. Para não deixar a história se perder.

SOBRE O DEMOCRATA

O Democrata Futebol Clube de Sete Lagoas é um dos times mais antigos e tradicionais do estado de Minas Gerais. Fundado em 14 de junho de 1914, o alvirrubro setelagoano já revelou jogadores de nível internacional e de seleção brasileira, como o zagueiro aposentado João Carlos e o goleiro Gomes (campeão da Tríplice Coroa em 2003 pelo Cruzeiro), lateral direito Marcos Rocha (campeão da Libertadores e da Copa do Brasil pelo Atlético-MG) e meia-atacante Bernard (atualmente no Shakhtar Donetsk da Ucrânia).

O Democrata tem como grande rival o Bela Vista Futebol Clube (sim, aquele Bela Vista que fez uma famosa excursão pela Europa em 1958) que atualmente só trabalha com categorias de base do futebol. Os dois protagonizaram por muitos anos o chamado “Clássico dos Sertões” ou “Clássico do Garimpo” – Garimpo é uma alcunha popular para o bairro Santa Luzia aonde os estádios dos dois times eram localizados a somente uma quadra de distância um do outro. A rivalidade do clássico é tão intensa quanto um Cruzeiro x Atlético-MG.

Porém, a situação recente do Democrata estava longe de momentos de alegria. Fora da Módulo I do Campeonato Mineiro desde 2009 e do Módulo II desde 2015, o Jacaré montou um time em 2017 para a disputa da Segunda Divisão do Campeonato Mineiro (que, na prática, é o terceiro nível do futebol de Minas Gerais) com ampla base de jogadores e comissão técnica de Sete Lagoas e região. O objetivo era subir para o Módulo II do Campeonato Mineiro. Mas a campanha que começou bem logo se mostrou um drama.

DO BOM COMEÇO À MÁ FASE

O time começou bem ao vencer o União Luziense em casa por 1 x 0. Porém, perdeu três jogos no primeiro turno e quem estava à frente do torneio àquela altura era o Ipatinga (sim, onde foi parar o time que já foi Campeão Mineiro em 2005 e jogou a Série A do Brasileiro em 2008!) e o Coimbra – time de BH, ligado ao grupo do Banco BMG, que manda seus jogos em Nova Lima.

Quem também estava disputando a Segundona Mineira era o Atlético B, formado por jogadores que não vinham sendo utilizados regularmente pelo time principal do Galo. Para muitos da imprensa esportiva de Minas (ou Galo Press, como os cruzeirenses chamam) uma das vagas do acesso já era dada como certa para o alvinegro B. Ledo engano.

No segundo turno o Democrata não perdeu. Porém, os empates nos confrontos diretos com o Coimbra (fora) e Ipatinga (em casa), deixaram o Jacaré em uma situação complicada. Faltando duas rodadas para o fim do campeonato o time setelagoano estava 5 pontos atrás do Ipatinga (que ainda jogaria uma vez) e do Coimbra (que faria dois jogos). Para piorar, os dois adversários na disputa pelas vagas jogariam com times já sem possibilidade de alcançarem o acesso. Só um milagre… que aconteceu.

A ARRANCADA E O IMPROVÁVEL ACESSO

Em um jogo difícil, o Democrata venceu o Poços de Caldas por 3 x 1 em casa e “ligou o secador”. E não é que deu certo! O Coimbra perdeu de forma improvável, em casa, para o União Luziense, já eliminado, por 3 x 1 e deixou a decisão das duas vagas e do título para a última rodada.

A situação para a última rodada mostrava o Ipatinga e o Coimbra com 32 pontos (o Ipatinga com saldo de gols melhor) e o Democrata em terceiro com 30 pontos (com saldo de gols melhor que o Coimbra). Os jogos eram os seguintes: Ipatinga x Ponte Nova, Poços de Caldas x Coimbra e Atlético B x Democrata. O Ipatinga “fez a obrigação”: venceu o Ponte Nova por 2 x 1 em casa e ficou com o título. Já a decisão do segundo lugar ganhou contornos épicos.

Por volta dos 18 minutos do segundo tempo, o Coimbra fazia 2 x 0 no Poços de Caldas e o Democrata perdia por 3 x 0 para o Atlético B na Cidade do Galo. Parecia que a fatura estava liquidada. Só quatro gols do Jacaré e o empate do Poços de Caldas tiraria a vaga do Coimbra.

Porém, o futebol é uma caixinha de surpresas. O Democrata iniciou a reação após a expulsão de Mateus Roldan do Atlético B aos 14 minutos do segundo tempo. Aos 19, Rodrigo Dias diminuiu para 3 x 1. Aos 25, veio a notícia do primeiro gol do Poços de Caldas e a esperança, mesmo que ainda absurda, se reforçou. Aos 30, o mesmo Rodrigo Dias fez o segundo. A essa altura do jogo chegou a informação de que o Poços de Caldas havia empatado o jogo contra o Coimbra, resultado que servia para o Democrata caso ele vencesse o Atlético B. A loucura parecia completamente plausível e o Jacaré então se atirou ao ataque.

Aos 36, Rodrigo Dias fez seu hat-trick, empatando o jogo. O jogo estava acabando quando chegou a informação de que o Poços de Caldas já havia virado contra o Coimbra para 3 x 2 (com 1 jogador a menos!). E o jogo terminou assim, para desespero do Coimbra, que tinha a vaga quase que certa rodadas antes. Assim, só faltava um gol para o Democrata conquistar o acesso. E ele veio. Aos 46 minutos do segundo tempo, o meia Guilherme, um dos melhores jogadores do time, fez o quarto e histórico gol.

Com direito a uma confusão, veio o fim do jogo. O Democrata venceu em uma virada memorável o Atlético B por 4 x 3 e, com a derrota do Coimbra, alcançou o acesso para o Módulo II do Campeonato Mineiro de 2018. Este é um daqueles jogos que ficará para sempre na história do futebol. Se não estivesse escondido nas divisões inferiores de Minas o que aconteceu nessa rodada seria comparável às grande reviravoltas do futebol mundial. Sem dúvida!

Parabéns a todos os responsáveis por este feito. E queremos mais! Quem sabe em breve poderemos ver novamente o Democrata na primeira divisão do Campeonato Mineiro do qual já foi 3 vezes vice-campeão e, sonhar não custa nada, disputar um campeonato de nível nacional daqui a alguns anos. O primeiro passo já foi dado. Agora é a diretoria manter o trabalho sério e os empresários e habitantes da cidade “abraçarem o Democrata” para quem sabe, o time possa alcançar grandes objetivos. Valeu Jacaré!

Jogadores do Democrata comemoram o improvável acesso. FOTO: Luisa Gonçalves

Comentários (0)

Escreva um comentário

Comentário
Nome E-mail Website